domingo, 21 de março de 2010

O marido perfeito mora ao lado


OOOOps é mesmo? Então é prá lá que eu vou!!!
Quinta Feira passada eu e um grupo de amigos fomos à noite de autógrafos do nosso professor da Oficina da Crônica.
Parecíamos um grupinho de adolescentes. A média aritmética das nossas idades dava: 51,6 primaveras, indo dos 79 aos 38 anos! Combinamos o encontro no metrô, na plataforma direção zona sul. No ponto final (Praça General Osório) pegamos o ônibus que faz a integração de Ipanema até nosso destino(palavra importante destino!) o Leblon. No caminho até nosso d e s t i n o, fomos rindo nuito. Nossa alegria destoava dos outros passageiros. Compreendo, eles estavam voltando do trabalho. Daquele d e s t i n o horrível chamado rotina. Pensando bem meus amigos também voltavam de um dia de trabalho, e um deles trabalhou tanto mas tanto que já estava aposentado e no entanto ainda não perdera la ternura!
Eu tive um frouxo de riso que quase fiz xixi nas calças. Não me inveje que é feio, não sou mais feliz que ninguém, apenas sei separar os departamentos. Em alguns lugares fico muito alegre e a melancolia guardo comigo ou divido com alguém que realmente possa me trazer um alento para minha dor.
Ia falando do programa de quinta! Depois de purgar num engarrafamento de uns 10 minutos só para atravessar o Jardim de Alá chegamos ao destino: Livraria da Travessa do Shopping Leblon!
A fila era grande e o Mestre Felipe Pena estava caracterizado de dr. Sigmund Freud. Ah! os pacientes éramos nós.Cada um de nós tinha que sentar-se no divã e pedir o autógrafo. Nós do grupo "Depois da Oficina" sentamos todos no mesmo divã, numa espécie de terapia em grupo. De lá fomos comemorar o aniversário de uma amiga num barzinho em Laranjeiras. Adoro sair com meus amigos, e muito bom ouvir quem tem o que dizer. Neste dia além de rir muito, conversei, ouvi poesia! E é assim que vou levando esta vidinha mais ou menos, espantando a dor com alegria. Um beijo da Paçoca

5 comentários:

Tertúlias... disse...

espantando a dor com alegria... sábia, minha amiga, muito sábia... ján dizia minha avó: "quem canta seua males espanta". dá no mesmo nao é? mas uma coisa é certa: teu amigo vienense ficou um pouco preocupadao com esta tua exclamacao... what can I do for you?

Anônimo disse...

...quero dar muitas risadas (mais)
com voce, querida amiga!!!!!!
E so chamar! Estou aqui "sempre alerta".
Beijo
Regina

Euzinha! disse...

Paçoquita, foi ótimo estar com vocês e fazer aquela farra!
aproveito pra dizer que mudei de enderço, preciso que atualize o meu cadastro no blog pro atual cantinho.
anote ai: http://voodeideias.blogspot.com/
beijos.
Eu.

Luigi Spreafico disse...

Paçoca
Linda a descrição que você faz da viagem e da "consulta" realizada pelo maluco Pena. Li-a revivendo a alegria, as bricadeiras, as risadas e as caretas repartidas entre todos os passageiros.
Pareciamos um bando de crianças.
Obrigado por tudo.
Conserve-se assim, e todos seguiremos o seu exemplo.
Seu admirador,
Luigi

Katita disse...

Conheci teu blog agora e adorei.
Nao sabia que escrevia tao bem!

bjs
Katita