quinta-feira, 30 de abril de 2009

Domingo em Pampa-linda


As crianças saíram com o marido para andar a cavalo.
Senhorita 13, chegou sozinha, passou por mim, que lia na rede. E foi direto beber água.
Entre um gole e outro, contou para Vera, nossa caseira, que havia visto uma cobra.
Disse isto, com toda a calma.
Muito interessada no livro, custei a atinar (é atinar que se fala?).
Cobra filha, onde?
- Na subida da ladeira.
Ainda "pegando no tranco", com o raciocínio muito lento, perguntei:
- Seu Pai e sua irmã ainda não subiram?
Não esperei a resposta, corri para o topo da ladeira e gritei para o marido:
- Cuidado! A senhorita 13 disse que viu uma cobra perto das hortências.
Lá de cima, vi quando a senhorita 11, passou correndo no sentido contrário ao da ladeira.
O marido e o caseiro, Sílvio foram procurar a cobra.
Depois de procurarem por um bom tempo, desistiram e resolveram entrar. Eis a dita, na foto abaixo, bem em cima do portão!!!
Pesquisei no Dr. google e acho que esta cobra é uma cobra-cipó. Apesar de ter um veneno letal, não tem como "morder", tornando-se, portando, uma cobra "inofensiva".

4 comentários:

Anderson disse...

E aí? Eles viram a cobra também?
Conseguiram pegá-la? Fiquei curioso com o desfecho da situação.

Anderson disse...

Interessante.
Gostei do desfecho. Excelente semana para você!

Cherry disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Levy disse...

Minhas criancas adoram andar a cavalo, e eu prefiro me colocar os oculos hb e deitar a pegar sol... relaxar-me um pouco nao tem preco.