terça-feira, 29 de setembro de 2009

Que Mico!!!

imagem do site biologias.com


Micos são pombos sem asas. Quem já não ouviu alguém falar que tem horror a pombos, que pombos são como ratos com asas? Sempre que defendo os pombinhos, ouço alguém dizer: Eles transmitem doenças. Ao que eu respondo prontamente (tenho essa mania de, aliás são duas: falar sem ser solicitada e dar respostas imediatas) repito por causa do parenteses aqui ao lado que ficou enorme. Os pombos transmitem doenças, resposta rápida: os seres humanos também, dependendo do humor exemplifico com uma doença mais ou menos assustadora. O único animal racional transmite entre outras coisas, digo doenças, gripe, catapora, sarampo, tuberculose, aids. Se os pombinhos transmitem doenças, perdoem os pobrezinhos pois eles não sabem o que fazem. Já os seres humanos...

Domingo de sol primaveril na cidade mais feliz do planeta; e também a mais bonita; e a mais mal tratada, fui caminhar na Urca. Este bucólico bairro da cidade maravilhosa, tem um quê de cidade do interior, só que com a imensa vantagem de estar à beira mar. As ruas são arborizadas. O comércio é pequeno, só com o suficiente para que o morador possa ter um certo conforto. Um lugar um tanto aprazível para se morar, sem espigões,com a exceção dos prédios cosntruídos para moradia dos militares. É na Urca que está um dos lugares que eu mais gosto de passear (e infelizmente cada vez mais pessoas gostam também). A pista Claudio Coutinho.

Antes chamada de o Caminho do Bem-te-vi, a pista tem 1.250 metros de extensão, e circunda os morros da Urca e Pão de Açúcar pelo lado externo, voltado para a saída da Baía da Guanabara. Além da vista, do barulhinho do mar estourando nas pedras, das borboletas, do verde, das bromélias, dos tiê-sangue e da pasmem: segurança (garantida pela proximidade com o exército e a marinha. Tem também muitos miquinhos.

E é justamente aí que eu queria chegar. Nos miquinhos. No primeiro parágrafo eu disse que micos como pombos sem asas. Sabemos que os pombos não são originários do Brasil (já li em algum lugar que foi com D. João VI que eles chegaram aqui). De tanto ter comida fácil,os pombinhos foram se amando se amando e quanto mais amor fazem menos os humanos gostam dos pobrezinhos que já não são considerados símbolos do amor e da paz e sim uma praga que deve ser exterminada, ou esterelizada.

Domingo lindo de sol primaveril enquanto fazia minha caminhada para relaxar no caminho do bem-te-vi pude encontrar verdadeiras pragas de seres humanos, que alimentavam os miquinhos com bananas e tiravam milhares de fotos. Vi até uma mulher que fez um close com a maquininha digital (outra praga bem na cara do miquinho. Com o prazer da gula satisfeito, os miquinhos não precisam se dedicar a procurar alimentos e podem se dedicar aos prazeres da carne e se multiplicarem. A gestação de uma mica leva apenas 150 dias e rende dois filhotes.

Gostaria de continuar amando os miquinhos e não querendo vê-los mortos, portanto, por favor resista: Não alimente os animais.

Um comentário:

tertulías disse...

Ainda nao li o teu post.... queria só agradecer o teu carinho e amizade... Querida, como voce é querida... em septembro de 2010 estarei no Rio... vamos tomar cafés-da-manha juntos????? No Leblon existem bons lugares!!!!!