sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

triste assim


Meu amigo Luigi tem 80 anos, mora em Friburgo e já morou em São Paulo, Pernambuco, Santiago do Chile e Rio de Janeiro. Já presenciou muita tragédia. Escreveu-me mandando notícias e não autorizou a publicação desta carta. Espero que ele me perdoe! Acho que um relato assim é importante e  nos faz refletir.
Querida Marcia
Só hoje recuperei a conexão com a internet. Ficamos sem luz, sem telefone
e sem poder sair de casa pois as ruas estão bloqueadas. Os telefones ainda
não funcionam, inclusive o celular. Percorri a cidade inteira a pé, por
onde era possivel passar, enterrado na lama. O quadro é aterrador. O
centro da cidade inteiro foi inundado. A única atividade que se vê é a
retirada de lama, moveis e utensílios inutilizados de dentro das lojas e
restaurantes. Os ônibus não circulam. Saí, na quarta feira, às nove da
manhã e cheguei em casa às quatro da tarde sem parar de caminhar. Hoje
pretendia voltar para reavaliar a situaçaõ mas desistí pois voltou a
chover. Agora são 9:12. A luz foi retabelecida mas agora fecharam a agua.
Estou recolhendo agua da chuva com os poucos recipientes de que disponho.
A visão dos desabrigados nas ruas é dolorosa. Uma coisa é vê-los na
televisão. Outra é encontrá-los face a face, chorando e gritando em busca
do pai ou do filho que desapareceram. E não poder fazer nada.
Nossa casa nada sofreu, milagrosamente, mas certamente ajudada pelas valas
que preparei na encosta para escoamento das aguas e que, em Outubro,
quando iniciavam as chuvas, tive o cuidado de limpar e aprofundar.
Não sei quando vou poder me deslocar ou mesmo falar ao telefone. O meu
computador está em pane. Estou usando o notebook da Dorotea e, com isso
nem posso trabalhar na revisão dos meus textos. O backup que fiz não
entrou no notebook. De qualquer modo o ânimo, diante do quadro desolador
da cidade, embota o raciocínio. A única coisa que poderia fazer seria
anestesiar-me com uisque, coisa que não faço em respeito aos desabrigados.
Que Deus os ajude.
Um beijo, Luigi

2 comentários:

Tertúlias... disse...

Que tristeza...

Tertúlias... disse...

Marcia, where are you??????? Sinto tua falta!!!!!!!