quinta-feira, 15 de abril de 2010

Punk


Ontem meu dia foi Punk!!!!!!!
Acordei na hora de sempre. Antes do sol nascer quentinho, bem ali atrás do Pão de açucar!
Fiz o café das meninas, levei miss 14 à escola. Parei no supermercado, fiz compras. Deixei o carro na garagem. Subi! Não encontrei a chave de casa na bolsa, desci e dei uma procurada no carro. Subi. Tirei tudo da bolsa duas vezes e não achei a bendita chave. Desci de novo, vasculhei o carro todo levantei tapetes, enfiei a mão nas frestas dos bancos, usei até uma lanterna. Subi! Tirei todas as compras das 8 sacolas de compras. Desci. Meus 3 leitores sabem que sou desorganizada até para dormir, mas se eu tenho certeza de algo, respeitem. Antes de saltar do carro eu tinha visto a chave e sabia que ela não poderia ter evaporado. Tive a ideia de pedir ajuda ao porteiro. Fui olhando todo o chão da garagem no trajeto que eu tinha feito, quando seu Antonio disse: - É esta aqui D. Márcia?
E....... finalmente a bendita foi encontrada dentro de um canteiro perto de onde pego o carrinho para transportar as compras. Não façam pergunta difícil eu não sei como a chave foi parar lá. Aceito sugestões...
Subi, abri a porta o telefone começou a tocar. O pessoal que trabalha me liga para me perguntar o que estou fazendo. Na verdade quando estou ao telefone estou deixando de fazer, para atender o telefone e responder a esta pergunta com cada vez menos simpatia.
Arrumei a documentação de miss 14 que viaja com o pai no feriado. O marido tinha digitado o texto errado e eu corrigi. Fiquei horas procurando minha carteira de identidade pois achei que ia precisar quando fosse levar o documento ao cartório.
Miss 12 chegou para o almoço, almoçamos juntas. Dei minha dormidinha de depois do almoço. Peguei o metrô, fui ao cartório, consegui depois de muita burocracia, muitas assinaturas, uma foto e infinita paciência, autenticar a autorização de viagem.
Peguei o metrô de volta, saltei na estação Largo do Machado que agora tem uns bancos esquisitíssimos de gosto duvidoso. Fui até a livraria e comprei mais dois livros para miss 12 que como sempre precisava deles para ontem!
Voltei para casa, guardei as compras, arrumei a casa e desci para tirar o carro da vaga do marido e colocar na minha vaga. O carro estava totalmente sem bateria. Subi, liguei para a seguradora.
O rapaz da seguradora chegou antes do tempo previsto (enfim algo que funcionou neste dia punk). Dei uma voltinha no quarteirão com o carro para ver se ficou tudo bem. Voltei, fiz o jantar, que na verdade foi um lanche. Fui ver a novela e li um pouquinho do livro de crônicas do PMC. Um refresco para o meu dia.
Depois de fazer tudo isto, tenho certeza que um amigo vai me perguntar: - Você não meditou?
Na verdade ando tão sem tempo que acho que vou ter que terceirizar esta tarefa! UFAAAA!!!!!!!!!

4 comentários:

Isabel Lemgruber disse...

Oi prima!!

Agora tenho um brinquedinho novo, e como acontace com todo brinquedo novo que se preza, quero mexer nele o tempo todo. É um netbook, muito fofo, vermelhinho e pequenininho. Então, agora, mesmo com a innttteeeeensa falta de tempo, resultado da conciliação de duas profissões ao mesmo tempo, posso navegar e fazer outras coisas, concomitantemente. É nessa circunstância que pude voltar aqui. Amei as novidades! E, como sempre, adorei acompanhar seu dia a dia - não me entenda mal:Vi que seu dia foi punk, e não minimizo isto. O que adorei foi te encontrar de novo. Alô!!
Bjks,

Isabel Lemgruber disse...

Relendo o texto - depois de tê-lo publicado detestei meus erros de português - sorry - rsrsrs.

May. ♥ disse...

Oi (:
dei uma olhadinha no seu blog, e adorei! tenho 14 anos também, como uma das suas filhas (:
te segui! passe no meu blog quando quiser (: será mt bem vinda.
beijos :*

Luigi Spreafico disse...

Vi que você meditou. Meditou? E aquele sorriso? E odedo indicador? è uma nova técnica? Quero aprender. Achei a foto genial, você está bem acompanhada.
Quem fez os bonecos, morri de inveja, queria estar no lugar deles.
Perdoa-me o atraso no comentário. Você sabe, pimentas, bambus, escoltas, oficinas, minas e tudo o mais. Parabéns, a crônica é linda!
Severino