segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Papai também escreve!

Sem tempo para tantos blogs. Resolvi postar uma croniquinha do meu pai. Digamos assim sem falsa modéstia: Filha de Peixe, peixinho é. Ou quem sai aos seus não degenera!

Um passeio pelos anos (Caio Castro)

“ Poetas ,seresteiros ,namorados correi
È chegada a hora de escrever e cantar
Às derradeiras noites deluar”
Marcos e Paulo S.Vale.


Este passeio pelos anos poderia enveredar pelos caminhos que trilhei, pelos vinhos que provei, pelas canções que ouvi e cantei , pelos lugares onde morei, pelos encantos que colhi, aqui e ali, porém, escolhi percorrer a senda dos livros que li e que forjaram meus sonhos !

Aqui ,em casa guardo, em vários armários e estantes, livros que li , e que volta e meia releio em trechos ou capítulos, como quem visita um amigo saudoso, os que ainda não li e aqueles outros que acho que nunca lerei.

Muitos comprei, outros herdei da biblioteca de meu pai e alguns ganhei de amigos e parentes.
Porém , em quase todos livros que li até hoje garimpei idéias, descobri autores que se aderiram a mim tornando-se parte de minha própria maneira de ser, de compreender o mundo.
Com eles me entretive, me enterneci ,me extasiei e mesmo me comovi e viajei, levado pela imaginação, aos confins do universo.

Alguns autores me emprestaram suas concepções da vida e de Deus, da amizade e do afeto, da ilusão e da esperança, das infinitas possibilidades dos desejos e dos nossos limites humanos.

Em suas páginas flutuei sobre as cidades e vilas, sobre as montanhas e vales, sobre as florestas e rios , sobre os desertos e os campos verdes e ,mesmo sobre o mar imenso.

Em suas histórias conheci o heroísmo , a abnegação, o sacrifício , a luta , a força e a fraqueza, a dignidade e a insídia , a dor e o próprio amor.

Velejei, galopei, voei, mergulhei , escalei, lutei, dirigi e corri em vertiginosas aventuras .

Mas sobretudo fui sublimado pela fantasia , pela imaginação e pela poesia dos livros
preciosos de todas as épocas , que surgiram de toda gente de todos os lugares da Terra.

Ler , para mim, é interpretar a meu jeito e feição a narrativa, o que me torna, de certo modo, cúmplice do autor e senhor das idéias que vão fluindo página por página , emoção a emoção!

Nada substitui estes momentos de magia!

Nem mesmo o cinema, a televisão ou mesmo as páginas virtuais poderão obscurecer ou destruir este objeto que amparamos com as mãos, carinhosamente folheando suas páginas como quem dedilha as contas de um rosário ou as cordas da viola, ou mesmo, acaricia uma mulher.

“Poetas ,seresteiros ,namorados ”descansai a lua continua esplendorosa nos céus e os livros permanecerão ,enquanto existirem histórias para se contar, o céu para se olhar e as idéias perseverarem no rastro do infinito !



Rio,16/01/2010

3 comentários:

Jôka P. disse...

Oi, Marcia! Espero vcs pra um expresso na Galeria, tá! Liga e avisa quando vêm.
Bj!

Luigi Spreafico disse...

Marcia
Deslumbrante, a crônica de seu pai. Deslumbrante! Gostaria de conhecê-lo. Agora entendo porque você escreve tão bem. Um abraço.
Luigi

Tertúlias... disse...

Minha Flor, voce anda muito bem, hein????? Que textos mais magnéticos. Livros... Acabei de publicar um momento "pessoal" nas tertúlias... coisa que voce sabe qu nao faco muito... pois é, deu vontade de dividr uma coisa minha. assim como voce faz - como te admiro por isto!
p.s. uando vamos falar do "livro"????