segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

New years resolution. Só as publicáveis!!!

Já decidi, este ano vou ser adepta do naturismo! Para quem não sabe naturismo é andar pelado sem ter vergonha! Será que o naturista só não tem vergonha de andar pelado por aí?
Na verdade pudica como sou não estava nehum pouco afim de sair por aí mostrando minhas vergonhas. Mas é que eu não aguento mais lavar roupa. Então pensei: Se não usar roupa não terei que lavar ( a família vai ter que se despir também já que eles não lavam a deles!). Tentado me convencer ainda vi vantagem na economia de água para o planeta, no sabão que deveria lavar mais branco e que não vai encher de espumas os rios e matar os peixes e toda a cadeia alimentar subsequente.
Enquanto escrevia fui imaginando todo mundo pelado e pior do que estar pelada no meio de um bando de desconhecidos é ter que almoçar, jantar, tomar café da manhã com pelados que... bom... deixa prá lá.
Resolvi então que não vou ser naturista. lavo só minhas roupas e pronto. O resto que decida se vira naturista ou se mexe um pouco.
Depois termino

4 comentários:

Chica disse...

Muito engraçadas tuas resoluções,rsrsr...beijos,tudo de bom,chica

Maria Augusta disse...

Paçoca, os índios é que tem razão, vivem em fase com a natureza, não é mesmo? rs

Mas pelados ou vestidos, desejo a você e a teus entes queridos um Ano Novo de muito amor e paz e pleno de belas realizações.

Um grande beijo.

Tertúlias... disse...

Ótimas resolucoes... só nao estou muito de acordo com a maria augusta. acho que índio "índio" só pata capa de revista mesmo ou para documentários "à la" Jacques Costeau... Quando fui ao Amazonas só via índio de calca jeans, camiseta e ouvindo radinho de pilha (em 1968 nao existiam Ipods etc.). Ora... Eu uma vez contratei um hotel naturista para o nosso programa de charters... na hora da comida ou no Bar só entrava quem estivesse vestido. Melhor, né? O Naturismo era mesmo só para a praia e todas as atividades "outdoor"... Concordo porém com voce em como seria melhor para a ecologia... Beijo Ricardo
P.S. quando vamos falar do "livro"?

Anônimo disse...

Espertinha, né! Devia ter começado pelo fim pra não dar esse susto na gente.